Aproveitamento

O projeto MOVBIO vai promover a valorização energética da biomassa de poda, visando a valorização da biomassa existente que atualmente não tem um circuito de aproveitamento definido e geralmente não tem um uso energético devido às suas características especiais.

Transformação

Especificamente, através da avaliação da viabilidade técnica e económica das adaptações dos processos de pré-tratamento e de aproveitamento térmico, facilitar a valorização energética da biomassa de poda de origem agrícola (vinha, olival, fruteiras) e urbana (biomassa proveniente da poda de parques urbanos e jardins).

Valorização

Pretende-se também contribuir para fortalecer o modelo económico, tornando-o mais sustentável através do uso eficiente da biomassa residual e promover a inovação empresarial.

Cooperação

Este projeto é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A España-Portugal (POCTEP) 2014-2020, dentro do Eixo 1 “Crescimento inteligente através da cooperação transfronteiriça para a promoção da Inovação”.

OBJETIVOS

O projeto MOVBIO tem como objetivo geral permitir a valorização energética de biomassa resultante das atividades de poda existentes de ambos os lados da fronteira luso-espanhola e que atualmente não é aproveitada de forma sistemática. Centrar-se-á especificamente na análise teórica e experimental da forma de valorização dos recursos biomássicos resultantes das atividades de poda realizadas na região abramgida pelo projeto, tendo em vista a sua utilização para a produção de energia, particularmente ena indústria e edifícios do setor terciário.

  • Caracterizar o potencial de geração de diferentes tipos de resíduos de podas agrícolas e urbanas, determinando tanto asua disponibilidade real como as suas propriedades enquanto combustíveis sólidos;

  • Definir conjuntamente e integralmente as adaptações necessárias relativas a: (a) metodologias e meios de extração de biomassa, (b) processos associados de tratamento e densificação e (c) tecnologias de uso convencional de energia;

  • Propor modelos de gestão que permitam revelar as relações entre oferta e a procura e que promovem o uso de novos recursos biomássicos e assegurem sua sustentabilidade económica ao longo do tempo;

ATIVIDADES
Seleção e adaptação de tecnologias

Desenvolvimento de ações específicas com dois níveis de intervenção nas seguintes tecnologias; aplicação em plantas piloto no caso de pré-tratamentos, densificação e combustão e, a nível teórico para a tecnologia de gaseificação.

Trata-se de se adaptar e propor as necessidades de adaptação das tecnologias existentes para fornecer o maior valor energético e aplicabilidade das biomassas que são objeto do Projeto.

Mobilização de biomassa

Avaliação do potencial para o uso de biomassas que geralmente não são valorizadas energéticamente. Em concreto, incidirá sobre resíduos biomássicos de podas de vinhas, oliveiras e árvores frutíferas (em particular o kiwi).

O objetivo é definir as condições iniciais que permitam a mobilização de “novas” biomassas da maneira mais económica possível e caracterizá-las em termos de uso eficiente através de diferentes tipos de tecnologias, dependendo do tipo de energia final necessária (térmica, elétrica).

Modelo de gestão

Promoção e definição de linhas de conexão entre biomassa e a sua utilização final.

Serão definidos diferentes modelos de gestão de modo a revelar as relações entre oferta e a procura que tornam económicamente viável o uso de novos recursos biomássicos e asseguram a sustentabilidade económica ao longo do período de vigência do Projeto.